quinta-feira, setembro 08, 2011

A gente sempre sabe!

Às vezes, se engana.
Finge que não sabia.
Finge que esperava que fosse diferente.
Mas vc sabia que não seria.
Você sabe aqueles que sentem sua falta.
Você sabe aqueles que até sentem, mas sabem lidar com ela.
Você sabe quem vai querer sua opinião sobre uma decisão importante.
Você sabe quem já sabe a sua opinião e tem medo de ouvi-la de você
E você respeita, porque também sabe que ninguém precisa pensar como você.
Você sabe quem vai te surpreender
Você sabe quem vai te esquecer..
Você sabe quem jamais te esqueceria.
Você sabe quem sabe o que te deixa feliz.
Você sabe exatamente o papel de cada pessoa em sua vida.
Sempre sabe. Mas há tempos em que não quer saber.
Não quer porque, às vezes, aquele que te importa tanto não te dá a mesma importância
e isso dói.
Não quer porque você gostaria que essa pessoa te surpreendesse, mas ela não surpreende.
E isso frustra.
Não quer porque você não gostaria que essa pessoa te esquecesse..
mas ela esquece.
E então você a culpa, você sofre, magoa-se, chateia-se.. mas vá lá, seja sincero consigo..
As expectativas são suas, lide você com elas! Ninguém te prometeu nada além disso!

Ah que doce é a maturidade que te faz ver que não se deve preocupar com aqueles que não se importam!
Veja: olhe a sua volta! Você realmente precisa do que não está ali?
Não é possível que tudo que vc recebeu (ainda que por distância) não seja o suficiente e o indispensável!
Não seja tão ambicioso.. não busque o sofrimento!

Nesse aniversário eu escolhi não sofrer. E lá depois de muitos bons drink eu disse: Eu sabia quem estaria aqui.
E eu não menti. Eu sabia mesmo! Assim como eu sei que quem só não estava porque não pôde. E não sofri.
Porque eu cansei de querer o que eu não tenho. De esperar o que não vai vir.
O que eu tenho é bom demais.
As pessoas que me abraçaram são as melhores que poderia ter.
E eu não preciso de mais nada!
Quando você entende que cada um tem suas prioridades, a vida é mais leve, mais simples!
E você continua a se importar com todos, mas sabendo quem merece mais a atenção!

Junto com os vinte e cinco anos  vem o fim do colágeno, algumas rugas, menos disposição e um metabolismo lento. Mas vem também muita serenidade, autoconfiança, segurança e serenidade. E isto, é impagável!

Obrigada a todos os meus queridos!
vocês sabem quem são! :)

segunda-feira, setembro 05, 2011

Feliz por Nada, por Marta Medeiros

"Geralmente, quando uma pessoa exclama : Estou tão feliz!, é porque engatou um novo amor, conseguiu uma promoção, ganhou uma bolsa de estudos, perdeu os quilos que precisava ou algo do tipo. Há sempre um porquê.
Eu costumo torcer para que essa felicidade dure um bom tempo, mas sei que as novidades envelhecem e que não é seguro se sentir feliz apenas por atingimento de metas.
Muito melhor é ser feliz por nada.

Digamos: feliz porque maio recém começou e temos longos oito meses para fazer de 2011 um ano memorável.
Feliz por estar com as dívidas pagas.
Feliz porque alguém o elogiou.
Feliz porque existe uma perspectiva de viagem daqui a alguns meses.
Feliz porque você não magoou ninguém hoje.
Feliz porque daqui a pouco será hora de dormir e não há lugar no mundo mais acolhedor do que sua cama.
Esquece.
Mesmo sendo motivos prosaicos, isso ainda é ser feliz por muito.
Feliz por nada, nada mesmo?
Talvez passe pela total despreocupação com essa busca. Essa tal de felicidade inferniza.
"Faça isso, faça aquilo". A troco? Quem garante que todos chegam lá pelo mesmo caminho?
Particularmente, gosto de quem tem compromisso com a alegria, que procura relativizar as chatices diárias e se concentrar no que importa pra valer, e assim alivia o seu cotidiano e não atormenta o dos outros.
Mas não estando alegre, é possível ser feliz também.
Não estando "realizado", também.
Estando triste, felicíssimo igual. Porque felicidade é calma. Consciência.
É ter talento para aturar o inevitável, é tirar algum proveito do imprevisto, é ficar debochadamente assombrado consigo próprio: como é que eu me meti nessa, como é que foi acontecer comigo?
Pois é, são os efeitos colaterais de se estar vivo.
Benditos os que conseguem se deixar em paz.
Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos.
Apenas fazem o melhor que podem.
Se é para ser mestre em alguma coisa, então que sejamos mestres em nos libertar da patrulha do pensamento.
De querer se adequar à sociedade e ao mesmo tempo ser livre.
Adequação e liberdade simultaneamente? É uma senhora ambição.
Demanda a energia de uma usina.
Para que se consumir tanto?
A vida não é um questionário de Proust.
Você não precisa ter que responder ao mundo quais são suas qualidades, sua cor preferida, seu prato favorito, que bicho seria.
Que mania de se autoconhecer.
Chega de se autoconhecer.
Você é o que é, um imperfeito bem-intencionado e que muda de opinião sem a menor culpa.
Ser feliz por nada talvez seja isso."
(Marta Medeiros)
Ocorreu um erro neste gadget