domingo, junho 15, 2008

O Silêncio.

"Words are very unnecessary
They can only do harm.
Enjoy the silence."
(Depeche Mode)


Guimaraes Rosa disse: Forte é permanecer, queito. E disse também que o silêncio é a gente mesmo demais. De um tempo pra cá, passei a apreciar o silêncio. É no silêncio que a gente consegue se ouvir. Se enxergar, se buscar, se entender. E muitas vezes, o silêncio é muito mais sincero. As vozes dos outros, em demasia, atrapalham de ouvir nossa própria voz. A qual, muitas vezes, é a que realmente importa.
Egoísmo? talvez.. mas a verdade é que o que te deixa tranquilo consigo é a sua própria voz. Aquele que se restringe aos pesamentos, que não verbaliza, que é a real. Aquele que não se sente bem sozinho é porque não tem clareza dos seus valores. Cai em contradição, se trai.. precisa da aprovação (ou reprovação) alheia. Ou quem fala demais, precisa provar aquilo que nem mesmo ela acredita. "Eu me transformo naquilo que eu digo".
Por isso que a mentira é tão ruim. Porque é a palavra que legitima o que é real ou não. Se foi dito, passa a ser verdade. Pelo menos, é assim que deveria ser. Se alguém diz que gosta de vc, vc acredita. Para que dizer isso se não é verdade?
Parece simples. Mas nem sempre é assim.
Realmente, a sinceridade está mais no silêncio do que nas palavras. Elas são desnecessárias perto do vazio do silêncio.
O Silêncio incomoda por isso. Porque é real. Porque é sincero. Porque nos permite ouvir nossa própria voz. O momento mais difícil de se reconhecer não é perante os outros, mas consigo. É aí que os conflitos se apertam e temos que dar satisfações pra tal consciência.
Tem horas, que penso que alguns não a têm. Mas nunca saberei. E nem quero.
Prefiro me preocupar com a minha própria. Em aprender a ouvir o meu silêncio. A me sentir demais. Me entender cada vez mais e a partir daí (tentar) fazer as coisas certas e talvez, entender o outro.

Tenho me esforçado para não rir das ações humanas.
Por não deplorá-las, nem odiá-las.
Mas por entendê-las.
(Spinoza)

3 comentários:

João disse...

Gostei do ponto de vista do silêncio...me identifico com ele na minha incostância, na busca sei lá do que...!!!

Michele disse...

sue, eu acho q esse meu ano aqui foi um ano do silêncio...hehehe...me entendi mto mais...tive mto tempo sozinha e em silêncio pra refletir sobre o quão pequenas e mesquinhas são certas coisas q os seres humanos fazem. Eu desejaria q todos, todos pudessem fazer uma viagem assim como a minha, pra que na volta eles pudessem dar mto mais valor a tudo de bom e mto menos valor a coisas que não se deve dar valor, q são pequenas, q não valem a pena. O amor vale a pena, o amor por tudo, e o principal deles é o amor por si mesmo né!? Se nós não nos valorizarmos quem o fará? Pessoas que fazem coisas q não conseguiremos nunca entender estão por aí de monte, agora a partir do momento q concordarmos com elas estaremos nos negligenciando...sejamos nós mesmos, e se pra isso tivermos q calr, calemos...
bjos!!!

Isis disse...

AMEI!

Ocorreu um erro neste gadget