domingo, agosto 16, 2009

Não tenho mais idade pra isso.

Ela riu quando eu disse essa frase pela vigésima vez. Afinal, como alguém com 23 anos podia se considerar velha para fazer seja lá o que fosse. Mas era assim que eu me sentia, como se já não tivesse idade para fazer tantas coisas..
Já cansada de se esforçar pra ser feliz em mais uma balada, e depois do curto efeito da vodka ter abandonado, sentei-me no sofá e fiquei olhando aquelas pessoas. Homens e Mulheres com os seus trinta, quarenta anos, não sei.. não sei se eles já faziam isso quando tinham 20 anos, mas o fato é que estavam lá, na pista de dança, dançando, procurando compania para uma noite, agindo como adolescentes sem o serem. Um frio gelado correu pela espinha, espantei os pensamentos que me amedrontavam olhando no relógio para saber se já poderia ir embora.
E voltei para casa pensando... pensando naquilo que me tormentara já faz um tempo. A verdade não é que não teria mais idade para isso ou para aquilo. O que falta, realmente, é vontade.
A maturidade foi se instalando aos poucos, de forma que nem percebera. Já não sou mais uma universitária. Não tenho que quebrar barreiras para curtir uma festa, beber bebida barata, chegar com cara de ressaca no estágio. "Já vivi essa fase". E muito bem! Esboçei um sorriso ao lembrar-me das muitas vezes que dormi pouco pra poder ir a uma festa de quinta feira, e o quanto tudo aquilo era divertido! Dois mil e oito foi o ano da despedida. Despedida da vida universitária, procurei fingir que não, que aquela loucura toda de festas, baladas e inconsequências iria continuar, mas no fundo, eu sabia que estava acabando e aproveitei ao máximo.
Emprego, resposabilidades, cobranças, planos.. são essas as coisas que me fazem sentir mais velha e me considerar sem idade para isso ou aquilo. Não consigo mais me divertir na balada. Alguns lamentariam e se compadeceriam da minha situação, mas eu não. Já me diverti muito, só quero novidade. Quero algo diferente daquilo que já conheço também.
Istalou-se um vazio nesse período de transição.
Desconfio do que seja capaz de preenche-lo, mas o que posso fazer? ainda não sei..
Perto de mais um aniversário.. sinto-me ansiosa por saber quais mudanças podem vir. Ou melhor, faço do aniversário um pretexto para renovar as esperanças em uma mudança. Alguma novidade capaz de trazer um novo ânimo..para substituir aquele que perdi e que eu não volte a ser aquela de quem sinto falta.. mas uma nova pessoa, plena e satisfeita.

3 comentários:

Eu sou a Aline! disse...

Foi por isso q esse ano desisti de ir na Festa do contrário... aquele tumulto, mta gente, mta gente mto bêbaba, gente enchendo o saco e caindo em cima de vc... tudo isso já deu pra mim!

Diegovj disse...

É, concordo com praticamente tudo dito nesse texto.

Acho que também perdi a motivação pras baladas.

Bjos!

Jcasorla disse...

Nossa, ainda tenho mais um ano e meio de vida universitária, e já me sinto velha pra isso tb!

Ocorreu um erro neste gadget