domingo, setembro 26, 2010

Se tem uma coisa que eu aprendi a valorizar é o tempo. Tão abstrato, tão ilusório e ao mesmo tempo tão essencial. O tempo é capaz de definir, apagar, fortalecer.. só o tempo é capaz de trazer as resposta pras nossas perguntas.
Por exemplo, eu não tenho melhores amigos de uma semana. Os meus melhores amigos são de longa data.. Tenho melhores amigos de quando eu estava na sexta série. Melhores amigos que compartilharam cinco anos de faculdade. Aqueles que chamo de melhores amigos são aqueles que conhecem tudo sobre mim, sabem como eu reagirei a cada situação, sabem o que eu mais amo, minha cor preferida ou que gosto e o que não gosto. E são esses que vão estar no altar do meu casamento (se eu me casar), são esses que vão estar nos meus aniversários - em presença ou em lembrança - são esses que vão se preocupar comigo caso eu fique doente, que vão me dar bronca sem dó quando eu fizer cagada e vão me dar colo quando eu chorar. Meus amigos não me dizem só o que eu quero ouvir, eles me dizem o que eu preciso saber. Eu sei exatamente quais são e só sei isso graças ao tempo.. ao querido e sábio tempo. 
Até ter essa certeza, já me decepcionei com amizades instantâneas, já me frustrei com pessoas dissimuladas, já briguei com falsos amigos que fingiam ser como aqueles que hj chamo de melhores. 

Essa lição que eu tomo tão bem para a amizade, agora faz parte do meu critério para um sentimento muito mais delicado chamado amor. Não tenho amores de fds. Nem amores de férias. Nem amores de internet. Muito menos (MUITO MESMO) amores de balada. Para eu acreditar que algo pode ser amor, é preciso muito mais. 
Aquele que te ama por um fds esquecerá de ti quando chegar a quarta feira e só lembrará no próximo fds. O seu amor de férias acabará junto com elas. Quem sabe em uma próxima ele reapareça.. com data marcada para terminar mais uma vez. Amores de balada acabam com o amanhecer do dia.. e amores de internet são fragéis como a conexão. De repente, não existem mais. Aqueles que dizem que amam de uma hora pra outra, também o deixaram de fazer assim que possível. Ou ainda, aqueles que dizem isso para vc e para outra pessoa, em algum momento ele terá de escolher uma só..  Se em meio a todas essas formas de amor podem existir exceções, não sou eu que vou pagar pra ver. O tempo que vivi até hoje me serviu para aprender. E aquele que aprende é comete erros novamente esse sim é que é o burro, e não aquele que não teve oportunidade de aprender. 

Amores que vêm rápido se vão rápido. Simplesmente porque ele não era forte o suficiente. Por isso que eu acredito naqueles grandes amigos que se tornaram namorados, nos casais que aprenderam a se amar dia após dia, como aconteceu com nossos avós, nos casais que vivem anos juntos e já conhecem cada expressão e cada reação um do outro. Esses sim vão viver senão para sempre, pelo menos por um bom tempo. Nesses amores existe muito mais que paixão. Não é nada místico ou cabalístico. É respeito, é carinho, amizade e lealdade. Só o tempo é capaz de solidificar esses sentimentos, enquanto a paixão é o primeiro a desaparecer com ele.. 

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget