domingo, outubro 21, 2007

"Porque gente rica adora ajudar criança pobre. Quem não gosta de ajudar criança pobre? "


Ontem eu assiti ao tão comentado e polêmico filme "Tropa de Elite". E já que falaram tanto sobre, acho que posso também tecer meu comentário.
Ao meu ver, o maior mérito do filme é escancarar a hipocrisia. A hipocrisia que existe em todos os segmentos da sociedade, e se existe uma mensagem, ela é bem clara, curta e grossa! - Não existem inocentes. Todos têm a sua parcela de culpa nessa cadeia.
Lembrei-me da teoria do caos, a qual conheço superficialmente, mas pelo que sei diz o seguinte: o leve bater asas de uma borboleta pode provocar um tufão. Ou seja..
Sim, seu fucking baseado está financiando o narcotráfico. Não queira se abster dessa culpa, porque aqui, meu amigo, não existem inocentes!
O policial é corrupto porque recebe um ridículo salário. ("Nada justifica caratér", vc poderia dizer, tá!? Mas pra mim, a partir do momento que o cidadão não é capaz de suprir suas necessidades básicas, fica difícil ter uma consciência política e social...) O traficante é traficante porque vive marginalizado, não tem acesso a educação, saúde e entre outras coisas. Novamente, lei da selva.. questão de sobrivivência. Pode não ser a única das alternativas, mas é uma delas. O policial do BOPE mata e tortura porque, embora ninguém assuma, é uma guerra - matar ou morrer. E você fuma seu baseado, cheira seu pó, toma seu doce porque é um grande babaca.
Não haveria problemas em ser um grande babaca se você apenas acabasse com a sua vida. Ou se você reconhecesse o seu papel nesse ciclo vicioso. Mas não.. e é aí o grande tapa na cara do filme: é fácil pregar a paz, a solidariedade e ao amor ao próximo de dentro das cadeiras da universidade, é fácil criticar o Sistema e o Estado e usar a sua bolsa FAPESP pra fumar maconha. É fácil criticar a burguesia e fingir que não faz parte dela só porque não come carne, ouve música alternativa e participa reuniões do ME, enquanto o seu pai trabalha pra te sustentar e a sociedade paga pra você ter um ensino superior de qualidade. É fácil se distanciar dessa realidade, filosofar sobre ela em meio "a vibe"., e se abster dessa culpa que também é sua. É fácil criticar a tortura quando não é você tem tem que arriscar a própria vida na favela.
Esse filme não está para ser julgado. Ele simplesmente fala a verdade. E com argumentos irrefutáveis, ao meu ver. Atinge a todos os segmentos da sociedade: a policia militar, o Bope, o morro, os políticos e os estudantes usuários.
Não tem lá o melhor elenco, (com exceção do charmosíssimo Wagner Moura), nem a melhor fotografia, mas tem um roteiro excelente! Um grande roteiro!! Que não se deixa levar pelo sensacionalismo barato e apelo emocional de muito sangue e pouca história, recorre a outros discursos e traz uma ironia fina que pode render até algumas risadas aos apreciadores do bom humor negro. Só não merece o Oscar, pq o Oscar também é uma grande hipocrisia.
E eu queria ver a cara dos intelectuais que defendem o cinema nacional e que se viram ali, totalmente sem máscaras.
Há uma discussão se o Cap. Nascimento seria ou não herói. Bem, herói no sentido romântico da palavra, obviamente, ele não é! Mas se pensarmos que heróis são pessoas que fizeram o que era possível ser feito, o personagem fictício iterpretado por Wagner Moura é sim um herói.


Quem quiser conferir um trechinho, vai aí um deles, que ao meu ver, é um dos melhores. Mas vale muito a pena ver o filme todo!

"- Quem matou ele? fala!!! (...) - Foi um de vcs!! - Não, foi vc seu maconheiro!"
http://www.youtube.com/watch?v=Q2aWW5N8p50

4 comentários:

MICHELE disse...

É eu já tinha conversado com o Dani sobre esse filme, ele até escreveu sobre isso no blog dele qdo lançou e tals.
Seria uma boa passar esse "informativo" pros alunos na primeira semana de aula da faculdade. Odeio ver aqueles neguinhos metidos a sou o revoltado que no fim de semana vão comer caviar na casa do papai e da mamãe, e que roubam as bolsas FAPESP de nós, os reais alunos pobres da faculdade que realmente precisariam dessas bolsas, pra comprar o baseado da festa de quinta...'
A nossa sociedade precisa aprender a apontar e punir os culpados né...

CresceNet disse...

Oi, achei seu blog pelo google está bem interessante gostei desse post. Gostaria de falar sobre o CresceNet. O CresceNet é um provedor de internet discada que remunera seus usuários pelo tempo conectado. Exatamente isso que você leu, estão pagando para você conectar. O provedor paga 20 centavos por hora de conexão discada com ligação local para mais de 2100 cidades do Brasil. O CresceNet tem um acelerador de conexão, que deixa sua conexão até 10 vezes mais rápida. Quem utiliza banda larga pode lucrar também, basta se cadastrar no CresceNet e quando for dormir conectar por discada, é possível pagar a ADSL só com o dinheiro da discada. Nos horários de minuto único o gasto com telefone é mínimo e a remuneração do CresceNet generosa. Se você quiser linkar o Cresce.Net(www.provedorcrescenet.com) no seu blog eu ficaria agradecido, até mais e sucesso. (If he will be possible add the CresceNet(www.provedorcrescenet.com) in your blogroll I thankful, bye friend).

Cris disse...

Concordo com vc, concordo com a Mi! Eh como eu penso: é fááácil falar, difícil eh pegar busão, é contar o dinheiro (sim, o seu dinheiro, aquele que vc trabalhou pra ter), entre tantas outras coisas...
Vc me conhece e sabe que hipocrisia dá nos nervos, então deixemos que a vida ensine... hehehehe...

Bjusss e arrasou!

Eu sou a Aline! disse...

Oi!
Vi sua msg no blog da Talita e vim espiar!
Concordo com o q vc disse...
pq é sempre assim, se alguem te assalta na rua ou mata seu pai, lá vai todo mundo botar a culpa no governo, na polícia, no diabo a quatro... mas se você usa droga, foi com o seu dinheiro que compraram a bala!a culpa tbm é sua! se ninguém usasse drogas, nao haveria tráfico (ou pelo menos nao seria algo tao grande assim) e uma grande parte dessa violência toda tbm nao existiria!
E tudo isso tbm não é culpa só de quem usa drogas nao, mas tbm de quem compra coisa pirata...cd, roupa, mp3, brinquedo... ou seja, estamos todos enfiados nisso até o pescoço!

Ocorreu um erro neste gadget