quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Penso.. logo, escrevo.


Quando eu tinha..bem.. não sei quantos anos eu tinha, eu li só um capítulo desse livro. O mais famoso, o da raposa. E não entendi absolutamente nada. o Diretor da escola que eu estudava era fascinado por esse livro, e sempre falava dele nas suas palestras..e eu continuava sem entender muita coisa. Por fim, durante minha infância, nunca tive o interesse de lê-lo.
Um dia, já adulta, decidi ler. Afinal, é um clássico.
Foi amor a primeira vista.
E olha que eu não me deixo encantar fácil.. por medo e insegurança, adoto uma postura cética e realista diante de várias coisas.. mas o Pequeno Príncipe simplesmente me encantou.
E a cada nova leitura, ele me encanta novamente.
Recentemente conheci uma pessoa que também tem como livro preferido o Pequeno Príncipe, e mesmo sem saber muito sobre essa pessoa, eu já lhe dei muitos créditos, afinal, são poucos que tem a sensibilidade pra entender a sua simbologia.
Pra terminar essa história, essa pessoa que eu conheci ganhou esse livro de Natal, e decidiu que todos os seus amigos deveriam lê-lo também. E eles leram. E eles também se emocionaram.. e de repente, vi um grupo de pessoas que poderiam estar falando sobre futebol, ou programa de tv, mas não.. conversavam sobre as impressões que tiveram com o livro. Chato, né? Pra alguns sim. Enfim.. repito: são poucas as pessoas que, ao meu ver, tem sensibilidade pra "entender" e se encantar com tanta simbologia, e eu vi isso naquela mesa , naquele dia... e um dos comentários que mais me chamou a atenção, veio meio que perdido, e quase passou despercebido ante as citações famosas. Na verdade, acho que sou eu ouvi. É, só eu ouvi. E toda essa enrolação foi só pra colocar essa citação aqui:

" - Não tenho mais nada que fazer aqui, disse ao rei. Vou prosseguir minha viagem.

- Não partas, respondeu o rei, que estava orgulhoso de ter um súdito. Não partas: eu te faço ministro!

- Ministro de quê?

- Da... da justiça!

- Mas não há ninguém a julgar!

- Quem sabe? disse o rei. Ainda não dei a volta no meu reino. Estou muito velho, não tenho lugar para carruagem, e andar cansa-me muito.

- Oh! Mas eu já vi, disse o príncipe que se inclinou para dar ainda uma olhadela do outro lado do planeta. Não consigo ver ninguém...

- Tu julgarás a ti mesmo, respondeu-lhe o rei. É o mais difícil. É bem mais difícil julgar a si mesmo que julgar os outros. Se consegues julgar-te bem, eis um verdadeiro sábio."

(Antoine de Saint-Exupèrie, Le Petit Prince)


.... Será que existe alguém que sabe julgar a si mesmo????????

Devem ter.. afinal, há tantos vaidosos por aí.. mas isso, já é outro capítulo...


Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget