terça-feira, janeiro 15, 2008

"Seu lado experiente e objetivo leva a melhor hoje e nos próximos dias. Pode ser um pouco chato fazer o papel de quem dá as regras e puxa a orelha do pessoal, mas é isso que atrairá credibilidade. E este é um período bom para conquistar e assegurar a fé alheia em seu potencial. Isso vale para o amor, o trabalho e a vida social."


Outro dia, estava vendo a vida passar sentada no banco da famosa Praça Brasília. De repente, juntou-se a nós um menino que deveria ter mais ou menos 11 anos. Lindo, olhos claros, loirinho, espertíssimo e artilheiro do time de futebol. Ele ficou ali, contando suas peripércias de criança, suas brincadeiras, a escola, os amigos. Ele nos contou também que um dia ele jogou futebol com os adultos e ressaltou que eles tinham mais de 20 anos.
Nesse momento, eu parei, olhei pro amigo que sentava ao meu lado e começamos a rir. Ele teve o mesmo pensamento que eu: é.. estamos em meio aos adultos. Lembrei-me, então, de quando eu mesma tinha a idade daquele garoto e a idéia que eu fazia dos adultos, eles pareciam tão importantes, tão responsáveis, tão sérios e inatingivéis. O mundo dos adultos era um "mistério" e eu me perguntava como seria quando eu fosse também adulta.

E a cada dia que passa, eu me sinto mais perto desse mundo adulto. Estou a poucos dias da minha formatura. Há quatro anos, eu ingressava na universidade e lembro de mim naquele fevereiro de 2004 e comparo com o atual e percebo diferenças gritantes! Aprendi tanto nesses quatro anos, mais do que eu posso explicar. A minha visão do mundo, da realidade, sobre o que é de fato real, sobre o futuro, sobre o presente.. O valor e a importância do que é realmente necessário. É mesmo muita coisa.
Hoje, sou profissional de letras, formada e desempregada. E me sinto de novo como lá naqueles 17 anos, quando não fazia idéia do que estava por vir. A diferença? Bem, a diferença é a postura ante o desconhecido. A ansiedade está lá, sempre, rodeando... mas há muito mais de serenidade pra lidar com as coisas.
Estamos aí numa empreitada.. um sonho.. uma esperança..rss.. são tantas as responsabilidades adultas: ata, reuniões, pautas, estatutos.. e aos poucos, vemos o sonho se concretizando. E vc vê pessoas que depositam uma enorme confiança em vc e vêem um potencial que nem eu mesma vejo. E isso faz com que eu me sinta mais forte, mais... adulta.
Há também aquelas que chamam de bebê. Sim, chamam! heheh E quer saber? Eu adoro!!! Adoro pedir colo, sentir um cuidado, um zelo de mãe, de irmã mais vela. Afinal, quem não gosta de um mimo, não é mesmo?
Mas o mundo adulto não perdoa.. contas, cobranças, prazos, responsabilidades.. todas essas palavras vão fazendo parte do nosso dia a dia e a gente nem mesmo entende como.. quando essas palavras fazem parte do seu cotidiano, meu caro, significa que vc é realmente adulto.

O barato de tudo é não perder o senso de humor. É ser adulto mas ainda assim, ter vontade de brincar no balanço. É ser mulher e mesmo assim escolher um caderno com folhas cor de rosa. E usar um vestido na balada e um pijama de ursinho pra dormir. É ser forte ante os relacionamentos, mas guardar um bilhetinho na agenda. É ter o pé no chão e ainda assim sentir um frio na barriga com a proximidade da mudança. É resenhar um livro e chorar assistindo desenho animado. E saber ter jogo de cintura numa situação delicada, e fazer voz de criança quando vê um cão.

O melhor é não levar a vida tão a sério... Afinal, a vida é séria?


4 comentários:

Xulyandrews disse...

Os adultos amam também né?

TE AMO!!!

MICHELE disse...

Adorei esse final do post Sue, eu acho que ser adulto é isso mesmo. Outro dia eu até comentei no meu blog q tinha medo de ficar mais velha e perder essa magia de ser jovem, mas eu acho que não vou perder não...eu espero hehe...afinal a vida é mto mais gostosa se a levamos dum jeito leve, mesmo que a loucura paire no dia-a-dia...afinal tudo sempre depende do nosso ponto de vista ;)

Diegovj disse...

Concordo plenamente; deixemos as anomalias da vida adulta de lado, pelo menos de vez em quando...rs.

Gostei do blog.
Saudações jornalísticas...rs.

Eu sou a Aline! disse...

No dia da minha colação de grau, quando minha tia veio me cumprimentar, ela me disse: "Nossa Aline, a Unicamp fez de vc outra pessoa. A Aline de antes jamais seria a oradora da colação"

concordo com ela!
É incrível como vc pode mudar tanto em 4 anos!

Ocorreu um erro neste gadget